Pesquisa indica que 46% das crianças paulistas estão acima do peso ideal

Na faixa etária de até 12 anos, 13% dos meninos e meninas de São Paulo apresentam caso grave de sobrepeso, enquanto 33% já são obesas

obesidade-infantilQuase metade das crianças de São Paulo com até 12 anos está acima do peso, sendo que 13% apresentam caso grave de sobrepeso e 33% são obesas.  Os dados divulgados nesta quinta-feira (6) são de pesquisa Ibope encomendado pela Nestlé. O levantamento avaliou aspectos da saúde de mil crianças que moram na região metropolitana de São Paulo de todas as classes sociais. Apenas 45% têm peso considerado normal, enquanto 9% estão abaixo do peso. O estudo revelou ainda que 52% dos pequenos são sedentários. O problema é maior entre as meninas: 56%.

Um dos fatores que contribuem para isso é que 75% dos paulistas entre 7 e 12 anos passam mais de quatro horas em frente à televisão, ao computador ou videogame todos os dias. Os especialistas recomendam apenas duas horas. Hábitos ruins de alimentação também estão presentes no dia a dia dos meninos e meninas: 33,4% das crianças pesquisadas, com idade entre 4 e 12 anos, consomem mais gordura que a recomendação diária. A ingestão de cálcio está abaixo do recomendado em 62% dos casos e o percentual sobe para 84% na faixa etária entre 9 e 12 anos.

Influência dos pais – De acordo com o pediatra e endocrinologista Raphael Liberatore, a criança precisa crescer em um ambiente em que se sinta motivada a fazer atividade física e se alimentar bem. “Não adianta o pai passar o dia inteiro vendo futebol na televisão, comendo porcarias e pedir para o filho dar uma volta no quarteirão”, diz o médico.

O especialista afirma que a obesidade é muito mais fácil e barata de ser prevenida do que tratada. Um dos primeiros erros dos papais e mamães é colocar refrigerante na mamadeira de crianças pequenas, explica Liberatore. Para o médico, os dados do estudo apenas comprovaram o que outras pesquisas já mostravam: baixa ingestão de ferro, vitaminas A, C, E e D e alta ingestão de gordura e sal. “Você imaginar uma criança comendo duas a três vezes a quantidade de sal que precisaria o dia inteiro é assustador”. Outro problema é impedir a criança de brincar. “Crianças quietas, que não brincam, são preocupantes. Os pais geralmente reclamam das crianças agitadas, mas o que preocupa é a criança quieta”, diz a psicóloga Elizabeth Monteiro.

Fonte: Ig

‘‘Disse Jesus: Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.’’ João 15:9-10 (clique aqui e se surpreenda)

Esta entrada foi publicada em Notícias. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s