Casos de dengue no Rio de Janeiro caem 90% em janeiro, diz InfoDengue da FGV

Declínio de temperaturas a partir de maio afeta comportamento do mosquito e transmissão.

infodengueO número de casos de dengue registrado em janeiro no estado do Rio de Janeiro atingiu 1.485, revelando queda de cerca de 90% em comparação ao mesmo mês do ano passado (15.471), de acordo com o Sistema InfoDengue, criado em 2015 pela EMAp-FGV (Escola de Matemática Aplicada da Fundação Getulio Vargas).

Segundo o professor de epidemiologia matemática, coordenador do sistema, Flávio Coelho, como o estado teve uma epidemia significativa em 2016, se for o mesmo vírus que estiver circulando, a maioria das pessoas já pegou dengue e, portanto, a epidemia acaba não sendo muito expressiva. Ele explicou que, em geral, a epidemia vai ser grande quando troca o vírus. — Quando ocorre essa troca, geralmente a gente tem um ano intenso [a doença].

O Sistema InfoDengue começou a operar oficialmente em 2015, fazendo a análise de notificações da doença referentes à capital do estado do Rio de Janeiro, e hoje monitora todo o estado e também o Paraná e o Espírito Santo. O projeto, sem fins lucrativos, é feito por adesão e depende da colaboração das secretarias estaduais e municipais de saúde para enviar os dados.

No Paraná e no Espírito Santo, os casos também mostraram redução de 20.932, em janeiro de 2016, para cerca de 5 mil em janeiro de 2017; e de 8.551 para 1.166, na mesma comparação, respectivamente.

Nível de alerta – Dos 92 municípios fluminenses, Coelho disse que cerca de 22 estão no chamado nível de alerta de transmissão, o que significa que as condições climáticas para reprodução do mosquito Aedes aegypti são ótimas nesses municípios, disse Coelho, que também é biólogo. Segundo ele, nessas semanas esses municípios estão agregando essas condições. — Predomina no verão, mas tem que ter algum nível de umidade e de pluviosidade “quantidade de chuva que cai em certo lugar durante determinado espaço de tempo].

Coelho esclareceu que essas cidades estão espalhadas de norte a sul no estado do Rio de Janeiro em cidades como Paraty, no sul fluminense; e Campos dos Goytacazes e Itaperuna, no norte. “Não há nenhuma região predominante”.

Fonte: R7

‘‘E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.” João 14:3 (clique aqui e se surpreenda)

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Notícias. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s