Governo brasileiro proíbe site de aborto que cobra U$S 200

Website em português fazia entrega do medicamento pelo correio entre sete e 14 dias.

cytotec siteA Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu a comercialização a a divulgação do medicamento abortivo Cytotec, que tem o princípio ativo misoprostol, incluído na lista de substâncias controladas.

O esquema de venda do medicamento abortivo ilegalmente, segundo a Anvisa, é feito pelo site “Aborto na Nuvem”. Na página da empresa, que ainda estava no ar até às 8h de hoje, dia 21, um vídeo explicava que o procedimento era “rápido”, “seguro” e “discreto”. Para contratar o serviço de aborto era necessário fazer uma cadastro e passar por uma “consulta” médica online (onde seria “aprovado” o aborto).

O custo total do processo, com medicamento e entrega em casa por encomenda postal, sai por US$ 200 (aproximadamente R$ 640). O prazo de entrega era de sete a 14 dias, sendo que para as capitais brasileiras e para as regiões Sul e Sudeste, exceto o Rio de Janeiro, o site prometia uma entrega mais rápida.

 “Determinar, como medida de interesse sanitário, em todo o território nacional, a proibição da distribuição, divulgação e comercialização do produto Cytotec (misoprostol), divulgado por meio do site “https://abortonanuvem.com/pt-br/“”, diz o texto da resolução número 753 da Anvisa, publicada na edição de hoje do “Diário Oficial” da União.

Ainda segundo a Anvisa, as vendas de medicamentos a base da substância misoprostol constante da lista “C1” (outras substâncias sujeitas a controle especial) são restritas a estabelecimentos hospitalares devidamente cadastrados e credenciados o que não é o caso do site.

Fonte: R7

rodapé farmácia alexandre

‘‘Por este menino orava eu; e o Senhor atendeu à minha petição, que eu lhe tinha feito.” 1 Samuel 1:27 (clique aqui e se surpreenda)

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Notícias. ligação permanente.

Uma resposta a Governo brasileiro proíbe site de aborto que cobra U$S 200

  1. O referido site ainda se encontra no ar.
    Isso mostra a ineficácia das agências reguladoras quanto a trabalharem mais no cumprimento das legislações do que em apenas publicarem legislações a respeito. Outro exemplo são os Correios, onde se pode enviar qualquer coisa (incluso medicamentos proibidos) e não há nenhuma fiscalização a esse respeito. Sem contar a falta de regulação da internet, onde tais sites demoram a ser retirados do ar, e quando retirados os donos geralmente compram hospedagens de outros países, dificultando ainda mais o cumprimento das legislações vigentes, justamente por conta de toda a burocracia envolvida em tais processos jurídicos. É uma ineficácia absurda esse país.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s