O tratamento para tuberculose em crianças vai mudar no Brasil

Segundo o Ministério de Saúde, um único remédio contra essa infecção vai ser administrado aos pacientes menores de 10 anos a partir de 2020.

tuberculoseO ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou a simplificação do tratamento contra a tuberculose em crianças de até 10 anos. Atualmente, esses pacientes recebem três comprimidos na fase intensiva do combate à doença e dois no estágio de manutenção. A partir de 2020, um único remédio efervescente agregará todos os compostos necessários para contra-atacar a infecção. “Um comprimido vai reunir os três medicamentos na fase intensiva e o outro, os dois da fase de manutenção, sem a perda da eficácia”, reforçou o ministro, em coletiva no Ministério da Saúde.

A alteração, segundo o ministro, estará disponível na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) “até o primeiro semestre do ano que vem”. Já para os adultos, o tratamento atual tem se mostrado eficaz e continua como antes. A medida voltada ao público infantil se justifica, entre outras coisas, por melhorar a adesão ao tratamento. “Facilita muito na hora de explicar para as famílias. Quando a gente dá um comprimido só, temos a certeza que estamos dando a dose recomendada dos três compostos”, disse Mandetta.

Stop TB – Mandetta também informou que o Brasil liderará a estratégia mundial de combate à tuberculose e, pelos próximos três anos, estará na presidência de uma organização internacional chamada Stop TB. Ela é vinculada à Organização das Nações Unidas (ONU) e reúne mais de 100 países no esforço de reduzir o número de vítimas da tuberculose. O Brasil cumpriu as Metas dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio relacionados à tuberculose e, no período de 1990 a 2015, conseguiu reduzir pela metade os índices de contaminação e morte. No entanto, a coordenadora do Programa Nacional de Controle de Tuberculose, Denise Arakaki, disse que o Brasil ainda precisa diminuir o número de casos para fazer o continente atingir seus objetivos.

“O Brasil representa um terço dos casos nas Américas. Se o nosso país não alcançar as suas metas, muito provavelmente a região não alcançará o resultado por nossa responsabilidade”, afirmou. De acordo com Mandetta, o país pretende aumentar o diagnóstico dos casos da doença no país. Os principais alvos são as populações de rua; os presidiários; e os indígenas, por terem uma imunidade mais baixa.

A tuberculose é considerada uma das dez principais causas de morte no mundo, com cerca de 1 milhão de vítimas por ano. No Brasil, foram registrados 75 mil casos no ano passado, sendo que 4,5 mil resultaram em morte. As capitais brasileiras com maior incidência da doença em 2018 foram Manaus e Rio de Janeiro. As que registraram menos casos foram Palmas e Brasília. O tratamento é gratuito no Sistema Único de Saúde e dura, em média, seis meses. O problema é que, no Brasil, a cada dez pacientes, pelo menos um abandona o tratamento. Isso deixa a bactéria da tuberculose mais forte e aumenta o risco de transmissão.

Fonte: Abril

“Mas o Senhor reprovou a conduta perversa de Er, filho mais velho de Judá, e por isso o matou.’’ 1 Crônicas 2:3b (para entender, clique aqui, assista ao vídeo e se surpreenda)

rodapé Greyzel

Publicado em Notícias | Publicar um comentário

As diferenças descobertas no DNA dos canhotos, e como mudam a estrutura do cérebro

Pesquisadores da Universidade de Oxford começam a desvendar pistas no DNA que indicam o que determina uma pessoa ser destra ou canhota – e como isso implica em, por exemplo, melhores habilidades verbais.

canhotoCientistas descobriram as primeiras instruções genéticas inseridas no DNA humano ligadas a canhotos. As instruções também parecem estar fortemente envolvidas na estrutura e função do cérebro – particularmente nas partes envolvidas na linguagem. A equipe da Universidade de Oxford diz que, por causa disso, os canhotos podem ter melhores habilidades verbais.

Mas muitos mistérios permanecem em relação à conexão entre o desenvolvimento do cérebro e a mão dominante. A equipe da Universidade de Oxford diz que os canhotos podem ter melhores habilidades verbais como resultado. Mas muitos mistérios permanecem em relação à conexão entre o desenvolvimento do cérebro e a mão dominante.

O que isso nos diz? Em média, uma em cada 10 pessoas é canhota. Estudos sobre gêmeos já revelaram que a genética – o DNA herdado dos pais – desempenha algum papel. No entanto, os detalhes estão sendo revelados apenas agora. A equipe de pesquisa recorreu ao Biobank do Reino Unido – um estudo com cerca de 400 mil pessoas que tiveram a sequência completa de seu código genético (DNA) registrados. Pouco mais de 38 mil eram canhotos.

Os cientistas fizeram um gigantesco jogo de “encontre as diferenças” para mapear as regiões do DNA que influenciavam o canhotismo. “Diz-nos pela primeira vez que a mão tem um componente genético”, disse à BBC Gwenaëlle Douaud, uma das pesquisadoras.

Mas como isso funciona? As mutações estavam nas instruções para o intrincado “andaime” que organiza o interior das células do corpo, chamado citoesqueleto. Mutações semelhantes que alteram o citoesqueleto em caracóis levaram-nos a ter a concha no sentido anti-horário – ou “canhoto”. Escaneamentos de genomas do projeto Biobank do Reino Unido mostraram que o citoesqueleto estava alterando a estrutura da substância branca no cérebro.

Nos participantes canhotos, as duas metades do cérebro – os hemisférios esquerdo e direito – estavam melhor conectadas e mais coordenadas nas regiões envolvidas na linguagem. Os pesquisadores especulam que os canhotos podem ter melhores habilidades verbais, embora não tenham ainda como comprovar essa tese. O estudo também mostrou riscos ligeiramente maiores de esquizofrenia e riscos um pouco menores para doença de Parkinson em pessoas canhotas.

Isso muda o que significa ser canhoto? Ser canhoto ainda pode ser um estigma. “Em muitas culturas, ser canhoto é visto como infeliz ou malicioso, e isso se reflete na linguagem”, disse Dominic Furniss, cirurgião de mão e autor do relatório. Em francês, gauche pode significar “esquerda” ou “desajeitado”. Em inglês, right (direita) também significa “estar certo”.

“O que este estudo mostra é que ser canhoto é apenas uma consequência do desenvolvimento biológico do cérebro. Não tem nada a ver com sorte ou maldade”, disse o professor Furniss. “E é impulsionado, pelo menos em parte, pelas variantes genéticas que descobrimos. “Isso aumenta a compreensão do que nos torna humanos.”

Este é o fim da história? Longe disso. Um bom palpite é dizer que o que define que uma pessoa seja destra ou canhota depende em 25% da genética e nos outros 75% de condições do meio ambiente (qualquer coisa que não esteja nos genes). E este estudo encontrou apenas o primeiro 1% desse componente genético – e apenas em uma população britânica.

Portanto, é necessário muito mais trabalho para entender o componente genético que define se uma pessoa é destra ou canhota nos vários cantos do mundo, sem falar dos impactos do ambiente em que as pessoas vivem, para depois descobrir como esses elementos resultam em pessoas sendo canhotas ou destras.

Fonte: G1

“Eu clamo pelo Senhor na minha angústia, e ele me responde.’’ Salmos 120:1 (para entender, clique aqui, assista ao vídeo e se surpreenda)

rodapé Juan

Publicado em Notícias | Publicar um comentário

Até o dia 20/09 – Processo seletivo para Farmacêutico na Associação Regional de Saúde do Sudoeste (Paraná)

Francisco Beltrão PR✅ Carga horária de 40 horas semanais.
✅ Não há custo de taxa de inscrição.
✅ O candidato deverá entregar o envelope com a documentação lacrada e identificação até o dia 20 de setembro de 2019, junto ao departamento administrativo (setor de protocolo) da ARSS, localizada na Rodovia Contorno Vitório Traiano, nº 501, Água Branca, em Francisco Beltrão – PR
✅ Remuneração: R$ 3.204,83.
✅ Leia o edital completo.
✅ Fonte: www.arssparana.org.
✅ Vale a pena fazer concurso para Cadastro Reserva?

“Eu, porém, sou pobre e estou triste; ponha-me a tua salvação, ó Deus, num alto retiro.’’ Salmos 69:29 (para entender, clique aqui, assista ao vídeo e se surpreenda)

rodapé Márcio 3

Publicado em Concursos Públicos | Publicar um comentário

Cochilar durante o dia pode evitar infartos, diz estudo

Fazer uma pausa na rotina para tirar uma soneca pode diminuir os riscos de ataques cardíacos e derrames.

cochiloHá um debate acalorado em curso entre os especialistas na ciência dos cochilos — e eles acabam de ganhar novos resultados para apimentar ainda mais a discussão. É que, até agora, não há consenso sobre se o hábito de tirar sonecas com frequência faz bem ou mal para a saúde. Estudo publicado nesta segunda (9) no periódico Heart traz boas notícias a quem gosta de puxar um ronco durante o dia: a prática parece fazer bem ao coração.

Pesquisadores do Hospital Universitário de Lausanne, na Suíça, monitoraram mais de 3,4 mil suíços ao longo de mais ou menos cinco anos para entender como eram seus hábitos de sono diurno. Eles então compararam essas informações com a quantidade de doenças cardiovasculares que aquelas pessoas apresentaram no período. E os dados apontam para uma diminuição substancial no risco de infartos, paradas cardíacas e derrames.

Mas que fique claro: o efeito só é observado quando a soneca é praticada com moderação. Deixar-se vencer pela preguiça e dormir por muitas horas em vários dias faz os benefícios desaparecerem. Só vale para cochilos curtos e casuais, portanto, uma ou duas vezes na semana. E, ainda assim, não é uma regra generalizada. O estudo avaliou pessoas entre 35 e 75 anos — e a associação não foi verificada em idosos acima de 65 anos, por exemplo.

Faz sentido, já que a idade costuma trazer problemas de saúde mais graves, para os quais simples sonecas não são mais grande coisa. Um em cada cinco voluntários disseram que tiram cochilos uma ou duas vezes na semana, enquanto mais da metade (58%) declararam nunca dormir durante o dia. Segundo os autores, o risco de doenças cardiovasculares mostrou-se 48% menor para aqueles que jogam no time dos dorminhocos.

Mas a pesquisa tem suas limitações. Foram registradas só 155 ocorrências cardíacas. Não é um número alto, o que compromete um pouco o peso das conclusões. Outra possibilidade é o fato de que as pessoas com o hábito de cochilar tenham as rotinas mais organizadas e estilos de vida mais saudáveis, o que por si só já poderia explicar o coração mais saudável.

Além do mais, eram os próprios participantes que forneciam os dados, e os cientistas envolvidos não realizaram análises mais investigativas no sentido de delinear mecanismos de causa e efeito. Foram constatações puramente observacionais. Ainda assim, o estudo apresenta importantes contribuições ao debate dos efeitos da soneca para a saúde.

Trouxe, pela primeira vez, o foco da discussão para a frequência e a regularidade das cochiladas, quando antes o centro das atenções costumava ser a duração e a intensidade. Será preciso investigar mais a ligação entre o ronquinho da tarde e a saúde cardiovascular. Mas, pelo menos, já dá para justificar sua próxima sesta com argumentos científicos.

Fonte: Exame

“Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado.’’  Hebreus 3:12-13 (para entender, clique aqui, assista ao vídeo e se surpreenda)

rodapé Letícia

Publicado em Notícias | Publicar um comentário

Aumentam casos de doenças virais transmitidas por insetos em 2019 no Brasil

doenças mosquitosSegundo o Boletim Epidemiológico da Secretaria de Vigilância em Saúde (Ministério da Saúde), para o ano de 2019, foram registrados 290.889 casos prováveis de dengue, chikungunya (até a SE 12) e Zika (até a SE 11). Em 2018, no mesmo período, foram registrados 100.858 casos prováveis. Observa-se um incremento de 282% no número de casos prováveis em 2019, quando comparado ao mesmo período ano anterior.

Segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia, vários fatores estão contribuindo para essa situação. Possivelmente aliada a fatores ambientais (calor intenso, com chuva intermitente), há também um grande número de pessoas sem imunidade contra sorotipos de dengue circulantes. Outra contribuição importante para esse número elevado em 2019 é a alta prevalência de Aedes aegypti nas principais regiões do país. Ainda existe uma alta prevalência do sorotipo DENV-2 no Sudeste, enquanto várias áreas do Nordeste enfrentam uma epidemia do sorotipo DENV-1.

Até o final do outono, os casos ainda estão se multiplicando no Brasil, o que é outro motivo de preocupação entre os profissionais de saúde e pesquisadores. Com a chegada do inverno, especialistas dizem que há uma desaceleração na epidemia. Espera-se que haja uma redução acentuada no número de casos.

Em 2019, houve mais casos de dengue com sinais de alarme, dengue grave e óbitos, o que provavelmente se deve à predominância do sorotipo DENV-2 na maior parte do país. Este sorotipo tem maior potencial para gravidade, além de ter circulado pouco nos últimos anos, havendo assim um maior número de indivíduos suscetíveis à infecção por esse sorotipo.

Fonte: Terra (Boa Saúde) e Boletim epidemiológico – Secretaria de Vigilância em Saúde – Ministério da Saúde.

‘‘Todavia, como está escrito: Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam’’ 1 Coríntios 2:9 (para entender, clique aqui, assista ao vídeo e se surpreenda)

rodapé Mauren

Publicado em Notícias | Publicar um comentário

Jantar do Dia Internacional dos Farmacêuticos em Maringá

jantar MaringáA Associação Maringaense dos Farmacêuticos – AMF convida os farmacêuticos e familiares a participar de seu jantar em comemoração ao Dia Internacional do Farmacêutico, que será realizado no Restaurante Ambistrô Cozinha Brasileira, localizado na Avenida Pedro Taques, 319.

O evento será no dia 26 de setembro de 2019, às 20 horas. Os convites custarão R$ 50 por pessoa (bebida não inclusa) e podem ser adquiridos na Ervanário Farmácia de Manipulação (44 3223-1031), Gallen Farmácia de Manipulação (44 3026-4948), ou com os farmacêuticos Eduardo Marani Valério (44 98812-6361) e Fabiano Toná (44 99916-3740).

“Deus então abriu a rocha que há em Leí, e dela saiu água. Sansão bebeu, suas forças voltaram, e ele recobrou o ânimo.’’ Juízes 15:19a  (para entender, clique aqui, assista ao vídeo e se surpreenda)

rodapé Karen

Publicado em Eventos | Publicar um comentário

Intervenções educativas aumentam aceitação da vacina do HPV

hpv vacinaUm novo estudo buscou estimar se intervenções educativas direcionadas podem aumentar a aceitabilidade e o conhecimento da vacina contra o papilomavírus humano (HPV) entre mulheres jovens. O estudo foi publicado na revista Obstetrics & Gynecology.

Pesquisadores da Universidade da Pensilvânia e do Fox Chase Cancer Center, na Filadélfia, conduziram uma investigação exploratória para descobrir a aceitação inicial da vacina profilática contra o HPV e as barreiras à aceitação. Com base nos resultados da fase exploratória do estudo, um estudo controlado randomizado de mulheres de 12 a 26 anos em uma única instituição foi concluído.

Os três braços do estudo incluíram material educacional (84 mulheres), vídeo educacional (87 mulheres) e controle (85 mulheres). Após a conclusão de suas tarefas de randomização, todos os participantes completaram uma pesquisa sobre dados demográficos e preferências e conhecimento sobre a vacina contra o HPV.

No geral, os pesquisadores descobriram que 51,7% das mulheres no setor de vídeo educacional relataram disposição para aceitar a vacina contra o HPV, em comparação com 33,3% no setor educacional e 28,2% no grupo de controle. As mulheres nos vídeos educativos e nos braços informativos apresentaram maiores medianas de conhecimento sobre a vacina contra o HPV do que aquelas no grupo controle (6 e 5, respectivamente, versus 3).

Ambas as intervenções foram relatadas como úteis em relação ao conhecimento (97,7% e 92,9% para o vídeo educacional e apostilas, respectivamente), mas mais mulheres acharam o vídeo educacional mais provável de ser útil na decisão sobre a vacinação (86,2% versus 70,2%).

O estudo concluiu que entre as mulheres jovens, intervenções educativas direcionadas, particularmente os vídeos educacionais, aumentam a aceitação e o conhecimento da vacina contra o vírus do papiloma humano (HPV).

Fonte: Terra (Boa Saúde) e Obstetrics & Gynecology. DOI: 10.1097/AOG.0000000000003379

‘‘Dediquem-se à oração, estejam alertas e sejam agradecidos.’’  Colossenses 4:2 (para entender, clique aqui, assista ao vídeo e se surpreenda)

rodapé Josyel

Publicado em Notícias | Publicar um comentário