IN dispõe sobre critérios para registro, alterações e revalidação de dispositivos de autotestes para glicose

glicosímetrosO Diário Oficial da União divulgou na segunda, 21/5, instrução normativa com critérios para o registro, alteração e revalidação relativos ao desempenho analítico de instrumentos autoteste para glicose e seus consumíveis. Confira:

Instrução Normativa n° 24, de 17 de maio de 2018 – Dispõe sobre os critérios para o registro, alteração e revalidação relativos ao desempenho analítico de instrumentos autoteste para glicose e seus consumíveis.

Art. 1º Ficam estabelecidos os parâmetros da Norma Técnica ISO 15197:2013 – In vitro diagnostic test systems – Requirements for blood-glucose monitoring systems for self-testing in managing diabetes mellitus, como requisitos a serem adotados e observados pelas empresas fabricantes de instrumentos autoteste para glicose e seus consumíveis para fins de registro, alterações e revalidação de registro junto à Anvisa.

Fonte: CRF-SP

“A teu servo, pois, dá um coração entendido para julgar a teu povo, para que prudentemente discirna entre o bem e o mal” 1 Reis 3:9a (clique aqui, assista o vídeo e se surpreenda)

Publicado em Notícias | Publicar um comentário

Orientações sobre a comercialização de medicamentos por aplicativos

orientações aplicativoCom o advento de novas tecnologias para a venda de produtos pela internet, o Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná vem reforçar as seguintes orientações:

a) A solicitação remota para dispensação de medicamentos é regulamentada pela Resolução RDC no 44/2009 da Anvisa, que entre outras exigências, dispõe:
– Somente farmácias regulares abertas ao público podem realizar a dispensação de medicamentos solicitados por meio remoto;
– O pedido pela internet deve ser realizado em endereço eletrônico do estabelecimento ou da rede de farmácias, que deve utilizar o domínio “.com.br”;
– É imprescindível a apresentação e a avaliação da receita pelo farmacêutico para a dispensação de medicamentos sujeitos a prescrição solicitados por meio remoto;
– É vedada a comercialização de medicamentos sujeitos a controle especial (Portaria 344/1998) solicitados por meio remoto;
– O local onde se encontram os estoques de medicamentos para dispensação deverá ser uma farmácia aberta ao público;
– A página principal do sítio eletrônico deve conter várias informações obrigatórias, entre elas a razão social, o nome fantasia, CNPJ, endereço físico completo, horário de funcionamento, nome e número de inscrição do farmacêutico responsável técnico no CRF, licença ou alvará sanitário e autorização de funcionamento.

b) Também deve-se observar que a captação de receitas contendo prescrições magistrais e oficinais por outros estabelecimentos, bem como a intermediação entre empresas, são vedadas pela Lei Federal no 5991/1973 (alterada pela Lei Federal no 11951/2009) e pela Resolução RDC no 67/2007 da Anvisa. Clique aqui e veja a nota divulgada pelo Conselho Federal de Farmácia em 08 de fevereiro de 2018.

Fonte: CRF-PR

“Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.” Romanos 14:17 (clique aqui, assista o vídeo e se surpreenda)

Publicado em Notícias | Publicar um comentário

Doutorado Direto em Química de Produtos Naturais com Bolsa da FAPESP

bolsa estudoUma oportunidade de doutorado direto com bolsa da FAPESP está disponível na Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, vinculada ao Projeto Temático “Desenvolvimento de metodologias analíticas verdes na busca por compostos orgânicos de alto valor agregado em resíduos agrícolas”. O prazo de inscrição vai até dia 30 de maio de 2018. No projeto, o bolsista participará da investigação de resíduos agrícolas com vistas à identificação e à quantificação de compostos orgânicos de interesse industrial. Os meios de investigação em si serão objetos de estudo, uma vez que as técnicas analíticas são importantes para a aplicação de princípios de sustentabilidade.

O candidato deve ter interesse em química de produtos naturais e em aprender e aplicar conceitos de química verde e de engenharia sustentável, além de interesse em técnicas de extração e de análise de amostras complexas (resíduos agrícolas) por cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC), cromatografia de fluido supercrítico (SFC), espectrometria de massas (EM) e ressonância magnética nuclear (RMN). É importante também que o candidato tenha alguma experiência em pesquisa em nível de graduação com iniciação científica.  Os interessados em se inscrever para a vaga devem enviar e-mail para o professor coordenador da vaga, Cristiano Soleo de Funari (csfunari@gmail.com).  Mais informações sobre a vaga:  www.fapesp.br.

Para o desenvolvimento desse projeto, o pesquisador será subsidiado com uma bolsa de Doutorado Direto fornecida pela FAPESP, com duração de 48 meses e valor mensal de R$ 1.988,10 no primeiro ano, R$ 2.110,20 no segundo ano, R$ 2.929,80 no terceiro ano e R$ 3.626,10 no quarto ano. Um auxílio financeiro equivalente a 30% do valor anual da bolsa será concedido para despesas diretamente relacionadas às atividades de pesquisa. Os requisitos e benefícios estão disponíveis em fapesp.br/bolsas/dd. Outras vagas de bolsas, em diversas áreas do conhecimento, estão no site FAPESP-Oportunidades, em fapesp.br/oportunidades.

Fonte: Protec
Colaboração: Osvaldo Albuquerque Cavalcanti

“Esforçai-vos, e ele fortalecerá o vosso coração, vós todos que esperais no Senhor.”  Salmos 31:24 (clique aqui, assista o vídeo e se surpreenda)

Publicado em Notícias | Publicar um comentário

Vaga para Farmacêutico(a) na cidade de Joinville – SC

Joinville SCPara atuar em farmácia de dispensação.
Carga horária de 44 horas semanais.
Horário: das 15:45 h às 00:15 horas. Final de semana conforme escala de revezamento. Folga fixa: Terça-feira.
Com ou sem experiência.
Remuneração: R$ 3.570,00.
Benefícios: vale transporte, vale alimentação/refeição (R$ 417,00), convênio farmácia e plano de saúde.
Maiores informações com Camila pelo telefone (47) 3461-9874
Enviar currículos para o e-mail camila.rossetti@clamed.com.br (Drogaria Catarinense).

“Com mão forte, e com braço estendido; porque a sua benignidade dura para sempre” Salmos 136:12 (clique aqui, assista o vídeo e se surpreenda)

Publicado em Vagas de Emprego | Publicar um comentário

Alimentos poderão ter avisos para altos teores de gordura, açúcar e sal

Anvisa aprova relatório e começará a discutir forma de cumprimento de nova regra; advertência é motivo de queda de braço de órgão com indústria alimentícia.

batata fritaA Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta segunda-feira, 21, um relatório para que alimentos e bebidas passem a ser vendidos no país com rótulos de advertência para altos teores de gordura, açúcar e sal. A expectativa é de que a nova regra, que ainda está em discussão, seja publicada neste semestre e que novos rótulos estejam no mercado entre 180 dias a um ano depois da sua entrada em vigor.

A forma como essa advertência será estampada nos produtos, no entanto, ainda deverá ser definida num processo de tomada de subsídios. Interessados terão 45 dias para opinar, entre outras coisas, sobre o design que será adotado e sobre prazo que a indústria poderá ter para se adequar às novas regras.

Embora o relatório aprovado seja preliminar, a indústria alimentícia sai derrotada do processo. Sua proposta de advertência, considerada pela agência como confusa e pouco informativa, foi retirada da lista de seis formatos de avisos que poderão ser votados. “Nada impede que nós apresentemos novamente o formato durante a tomada de subsídios. E vamos fazê-lo”, avisou o gerente-executivo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Pablo Silva Cesário. As empresas deverão também pedir mais prazo para responder à tomada de subsídios.

O presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa, afirmou, no entanto, que o prazo concedido é suficiente. Ele afastou, ainda, a possibilidade de se retomar a discussão para as advertências através de “semáforos”, como propõe a CNI. “Essa discussão já está superada”, afirmou.

O relatório propõe seis formas de advertências admissíveis. Elas podem vir estampadas em círculos, octógonos, triângulos ou virem em inscrições num quadrado. Além da advertência na parte frontal da embalagem, o relatório propõe mudanças na tabela nutricional. Ela deve incluir os teores de açúcar (hoje esse item não consta na tabela) e deixa de apresentar o item de gordura trans.

“Muitas vezes, o produto vem com zero de gordura trans”, observa Barbosa. “Isso poderia induzir o consumidor a pensar, erroneamente, que o produto é saudável, porque ele pode trazer uma quantidade muito grande de gordura saturada.” Ele observa, ainda que, como há a tendência de a gordura trans ficar restrita a apenas poucos produtos, tal inscrição se tornaria dispensável.

Os valores da tabela nutricional serão feitos também com uma referência padrão: 100 ml ou 100 gramas. Hoje, a referência muitas vezes são porções, como duas colheres, três unidades. “É preciso um padrão para dar ao consumidor a exata noção do que está consumindo”, afirma Barbosa. Os padrões que vão definir o que é alto teor de açúcar, gordura e sal foram estabelecidos pela própria Anvisa. “Eles são inspirados nos indicadores da OMS, mas com algumas diferenças”, disse Barbosa.

Urgência – A proposta foi bem recebida pelo advogado do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), Igor Rodrigues Britto. “O importante, contudo, é que a discussão seja rápida. O tema já foi muito debatido e a adoção de mudanças nos rótulos é urgente”, disse. A nutricionista Ana Martins é de opinião semelhante.

Ela elogia o fato de produtos com selo de advertência estarem impossibilitados de apresentar advertências como “rico em vitamina”, “enriquecido com”. “A rotulagem, por si só, não vai reduzir o problema da obesidade no Brasil, que é crescente. Mas ela é um instrumento valioso. Para que consumidor saiba o que está comprando, saiba o que está consumindo.”

A tomada de subsídios é uma etapa nova nos processos da Anvisa. Esta foi a primeira vez que ele foi usado e deverá ser praxe em processos considerados mais polêmicos. Terminada esta etapa, uma minuta de resolução deverá ser preparada. Ela irá para consulta pública e, somente então, a resolução será publicada. Barbosa, no entanto, está convicto de que todas essas etapas serão concluídas até o início do próximo semestre. “O assunto já foi bastante discutido.”

Fonte: Veja

“Pela fé passaram o Mar Vermelho, como por terra seca; o que intentando os egípcios, se afogaram.” Hebreus 11:29 (clique aqui, assista o vídeo e se surpreenda)

 

Publicado em Notícias | Publicar um comentário

Farmácias sentem efeito tardio da crise

lupa gráficoO mercado de farmácias vive hoje efeitos da crise que atingiu o varejo nos últimos anos. Esse cenário adverso deve afetar o desempenho das empresas ao longo deste ano, segundo executivos das principais redes do país. Os sinais de que as vendas das farmácias têm desacelerado ficaram mais claros nas últimas semanas, quando os números do primeiro trimestre das grandes cadeias foram publicados ao mercado.

A Pague Menos não cresceu de janeiro a março e o grupo RD (Raia Drogasil), apesar de se expandir acima da média, perde ritmo desde o terceiro trimestre de 2017. As empresas afirmam que os efeitos da recessão chegaram ao setor após a segunda metade do ano passado e se intensificaram em 2018. A resiliência desse segmento conseguiu, de certa forma, “blindá-lo” durante um período, mas a lentidão na retomada da economia, e especialmente, a manutenção das elevadas taxas de desemprego – o segmento é altamente dependente de renda – mudou os hábitos dos consumidores e afetou as vendas. Ainda compõe esse quadro a acelerada expansão da categoria de medicamentos genéricos, que reduz o tíquete médio nas lojas. “O consumo de genéricos está crescendo muito mais.

É algo que já vinha aumentando, mas subiu mais de seis a oito meses para cá. São produtos com preço menor, e não há aumento em volume que consiga compensar a desaceleração na receita total” diz Sergio Mena Barreto, presidente executivo da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma). De janeiro a abril, a venda de genéricos subiu R$ 16% (em valor) e nos medicamentos em geral, a alta foi de 11,5%. Para efeito de comparação, no ano anterior houve aumento de 14,9% nos genéricos e no mercado farmacêutico, de 13,2%, segundo dados do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sindusfarma).

Ou seja, o genérico “descolou” do resto do mercado neste ano. Genéricos são, em média, 60% mais baratos que os medicamentos de referência, segundo a PróGenéricos, associação do setor. Outro fator que pesa para as drogarias é o desempenho abaixo do esperado nos segmentos de higiene e beleza. “A gente poderia conseguir algum contrapeso com a venda maior desses produtos. Mas eles não estão reagindo da forma como prevíamos”, diz o presidente da Abrafarma. “O primeiro trimestre foi desastroso.

Estamos estimando que o mercado [de farmácias] deverá crescer a mesma taxa de 2017, em torno de 9%, e se ficar mesmo nisso, vamos nos dar por satisfeitos”, disse. Na avaliação de Luiz Novais, diretor financeiro da Pague Menos, existe um efeito do aumento das taxas de desemprego, especialmente no Nordeste, regiões onde a concorrência entre as farmácias acirrou-se após 2017 (leia abaixo). “O consumidor dessa regiões, que perdeu o emprego no ano passado, tentou manter suas compras usando o seguro desemprego e depois, eventualmente, alguma reserva financeira. Mas isso acabou e a farmácia é uma das primeiras que sente esse movimento”, diz.

O setor também identificou um movimento de substituição de gastos, que afeta o mercado, segundo o presidente da Abrafarma. “Muita gente manteve suas compras nas farmácias nos últimos anos, mas agora está voltando a consumir mercadorias que abandonou, e a usar serviços de que abriu mão. Estão reduzindo gastos nas farmácias para voltar comprar outros produtos.” O comando da Raia Drogasil, em entrevista ao Valor no início de maio, já havia alertado para o movimento mencionado por Mena Barreto. “Nosso setor é contracíclico.

Quando a economia não vai bem, o cliente gasta no essencial e reduz compras de bens duráveis e consumo discricionário. Com a economia retomando, isso se inverte”, disse Eugênio De Zagottis, diretor de planejamento corporativo da Raia Drogasil Na avaliação de Luiz Novais, da Pague Menos, ainda houve o efeito da queda no reajuste dos medicamentos, determinado pelo governo federal, e que tem impacto direto sobre a taxa de expansão da receita.

O aumento definido neste ano é de até 2,84%, menor taxa dos últimos 11 anos. Em relatório sobre o setor enviado a investidores na semana passada, o analista da corretora Brasil Plural, Guilherme Assis, afirmou que as varejistas devem continuar a apresentar resultados “mornos” a curto prazo. “Em nossa opinião, o crescimento da receita será prejudicado pela queda contínua nos preços médios e pela redução de tíquetes médios, o que deve consequentemente pesar sobre a rentabilidade, mesmo com os maiores volumes gerados pelos planos de expansão [de aberturas de lojas] em andamento”, escreveu Assis. “É um novo cenário em termos de vendas e concorrência a que o mercado deve ter que se adaptar daqui para frente”, disse Rodrigo Pizzinatto, diretor superintendente da Extrafarma, ao Valor dias atrás.

Especialistas ressaltam que o setor ainda se expande de forma mais rápida do que a média varejo brasileiro, apesar do desaquecimento recente. De janeiro a março, enquanto a receita nominal do varejo restrito subiu 4,1%, segundo o IBGE, as farmácias se expandiram 6,2%, de acordo com a Abrafarma.

Fonte: Valor Econômico

“Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.” Tiago 4:14 (clique aqui, assista o vídeo e se surpreenda)

Publicado em Notícias | Publicar um comentário

Cientistas criam “pílula” capaz de diagnosticar câncer de mama

Pesquisadores dizem que a pílula pode ser uma maneira precisa, segura e não invasiva de detectar a doença.

mama cancerQuem é mulher sabe da importância de realizar anualmente o exame de mamografia, útil para encontrar possíveis focos de câncer de mama. O problema é que o procedimento nem sempre fornece resultados precisos e ainda expõe as pacientes à radiação. No entanto, um estudo publicado na revista Molecular Pharmaceutics, relata que os cientistas desenvolveram uma “pílula de rastreio de doenças” não invasiva, que conseguiu iluminar tumores cancerígenos em camundongos, quando expostos à luz infravermelha –e sem uso de raio X.

O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano, de acordo com o INCA. Também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença. As mamografias são radiografias de tecido mamário que podem fornecer informações sobre a localização e tamanho de um nódulo, mas não conseguem distinguir entre crescimentos cancerosos e benignos. Como resultado, até uma em cada três mulheres saudáveis é submetida a tratamentos e procedimentos de câncer de mama desnecessários, de acordo com um estudo recente realizado por pesquisadores dinamarqueses.

Mamografias também fazem uso de baixos níveis de radiação. Embora o risco de dano causado por essa exposição seja mínimo, os raios X repetidos podem gerar problemas de saúde. Sondas fluorescentes podem detectar tumores de mama, mas devem ser administradas por via intravenosa. Exatamente por isso, Greg M. Thurber e seus colegas decidiram desenvolver uma técnica mais precisa e segura que também não fosse invasiva.

Os pesquisadores combinaram dois tipos de moléculas em uma única pílula: uma molécula alvo que se liga a proteínas na superfície das células do câncer de mama, além de um corante que tinha grupos de sulfato carregados negativamente ligados a ele. Grupos de sulfato aumentam a solubilidade de corantes fluorescentes próximos ao infravermelho, aumentando a probabilidade de detecção do tumor.

Testes em ratos mostraram que, com essa formulação, uma proporção considerável do agente de imagem foi absorvida na corrente sanguínea. Também se liga especificamente às células cancerígenas com pouco ruído de fundo. Apesar de ainda serem necessários mais estudos, os pesquisadores dizem que a pílula pode levar a uma maneira precisa, segura e não invasiva de detectar o câncer de mama, além das chances de serem modificadas no futuro para detectar outras doenças.

Fonte: Uol

“A benignidade do Senhor jamais acaba, as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade.” Lamentações 3:22-23 (clique aqui, assista o vídeo e se surpreenda)

Publicado em Notícias | Publicar um comentário