Paraná: Assembleia de professores decide pela manutenção da greve

Docentes lotaram o estádio da Vila Capanema, em Curitiba, para analisar as propostas feitas pelo governo estadual. Após decisão, eles fizeram uma passeata até o Centro Cívico

Greve PRProfessores de todo o Paraná se reuniram em assembleia nesta quarta-feira (4) e decidiram rejeitar as propostas do governo estadual e manter a greve da categoria, iniciada em 9 de fevereiro. O encontro aconteceu no estádio da Vila Capanema, no bairro Rebouças, e teve um público de cerca de 20 mil pessoas, segundo a organização da APP-Sindicato.

Após o término da assembleia, os grevistas sairam do estádio em passeata até o Centro Cívico. A intenção é acompanhar, durante a tarde, a votação, na Assembleia Legislativa, do projeto de lei que extingue a Comissão Geral. Apelidada de “tratoraço”, esta medida permite que projetos sejam aprovados em um período curto de tempo, sem a análise individual por comissões da casa legislativa.

Em uma Vila Capanema lotada, como há muito não se via, professores se apinharam nas arquibancadas para decidir se aceitaram ou não o conjunto de propostas feitas pelo governo estadual para encerrar a greve da categoria. Para aumentar o clima de futebol, ambulantes circulavam em meio à multidão vendendo produtos similares aos encontrados nos jogos realizados em Curitiba. Bandeiras da CUT e da APP-Sindicato estavam espalhados pelo estádio, colorindo ainda mais a casa do “Tricolor”, o Paraná Clube.

As falas feitas antes da abertura da assembleia davam o tom do que estaria por vir. Nenhum representante se cadastrou para falar pelo fim da paralisação. Desta forma, o que era barbada se confirmou. Professores levantaram de forma unânime suas placas vermelhas (em contraposição às azuis) e decidiram manter o movimento grevista. Eles também deliberaram sobre outros temas, como o pedido à Justiça de uma audiência de conciliação entre governo e sindicato para debater impasses antes que o movimento seja declarado abusivo. Docentes também aprovaram a declaração de “assembleia permanente”, o que significa que uma nova reunião pode ser convocada a qualquer momento no prazo de 24 horas em decorrência do cenário de incertezas.

Hermes Leão Silva, presidente da APP-Sindicato, e Marlei Fernandes, secretária de Finanças da entidade, avaliam a assembleia positivamente e pediram apoio a outros setores da sociedade. “O governo judicializou as negociações e não era necessário. Ocorre que não há condições de retorno sem que algumas reivindicações sejam atendidas, como a superlotação das salas, a contratação de professores, e a distribuição de turmas. Há ainda os pagamentos atrasados e e as progressões e promoções”, declarou o presidente da entidade.

Passeata movimentou ruas da região central – A passeata dos professores seguiu o seguinte trajeto:  rua Engenheiros Rebouças, rua Conselheiro Laurindo, avenida Silva Jardim, rua Mariano Torres (também ruas Luiz Leão e Barão de Antonina) e, por fim, avenida Cândido de Abreu e até o Centro Cívico.

O grupo seguiu tranquilamente, sem pressa, pelas ruas da região central da capital, cantando refrões de apoio à greve e contra o governo. Ao passar pela rua Mariano Torres, os manifestantes receberam o apoio da população, que acenava das janelas dos prédios.

A marcha chegou ao Centro Cívico por volta das 13h30. Os grevistas então se acomodaram na Praça Nossa Senhora de Salete – que tem sido a casa de muitos deles desde o início da paralisação – e pretendem acompanhar a sessão da Assembleia Legislativa desta tarde.

Cronograma de atividades inclui atos de apoio a outros movimentos – Além da assembleia e marcha desta quarta-feira, o calendário de eventos da APP-Sindicato inclui atos de apoio a outros movimentos, como um em defesa da Petrobras e outro da reforma política, com a convocação de uma constituinte.

No próximo dia 11 de março, uma quarta-feira, o sindicato dos professores convoca os grevistas para uma mobilização, ao lado da Via Campesina e do MST, “pela reforma política, com constituinte já, reforma tributária com distribuição de renda, soberania alimentar, o futuro do petróleo, as metas da educação”.

Já no dia 13 de março, sexta-feira, a convocação é para um ato “em defesa dos direitos trabalhistas, pela democracia e pela Petrobras”, a ser realizado ao lado da CUT e demais centrais sindicais. Na capital paranaense, o evento deve ter uma caminhada da Praça Santos Andrade, no Centro, até a Boca Maldita.

Os próximos atos dos grevistas serão na sexta-feira (6), em frente aos Núcleos Regionais da Educação, e no dia 8 de março, no domingo, junto a movimentos feministas, no Dia Internacional da Mulher. Este último deve ser realizado no acampamento do movimento, na Praça Nossa Senhora de Salete.

Fonte: Gazeta do Povo

‘‘Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.’’ Filipenses 1:21
Publicado em Notícias | Deixe o seu comentário

Vaga para Farmacêutico (a) na cidade de Joinville – SC

Joinville 2Para trabalhar em indústria farmacêutica.
Cargo: Especialista em Qualidade
Exclusivamente com experiência.
Atividades desenvolvidas: Atividades de validação, através da atuação na área de Sistemas da Qualidade (Controle de Mudanças e Análise de Riscos, Gerenciamento de Desvios, Procedimentos Operacionais) e Projetos de Validação de Processos, Sistemas, Métodos, Qualificação de Equipamentos e Sistemas de Utilidades como HVAC, água e ar comprimido.
Horário comercial.
Remuneração: entre R$ 3.500,00 a R$ 4.000,00.
Benefícios: assistência médica, alimentação no local e participação nos resultados.
Maiores informações com Cássia pelo telefone (41) 3078-8072.
Enviar currículo para o e-mail cassia@humanityrh.com.br
Esclarecimento sobre as vagas de emprego divulgadas no blog

Jesus disse: ‘‘Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.’’ João 7:38
Publicado em Vagas de Emprego | Deixe o seu comentário

ONG põe Brasil em lista de sistemas de saúde vulneráveis a epidemias

save the childrenA Organização Save The Children colocou o Brasil em uma lista com 72 países que, segundo a ONG, possuem sistemas de saúde vulneráveis a epidemias graves como a do ebola, que atingiu principalmente países da África Ocidental e matou quase 10 mil pessoas.

O relatório, divulgado nesta terça-feira (3), mediu fatores como a proporção de profissionais em relação à população, além das taxas de mortalidade infantil e materna, indicadores efetivos do estado do atendimento médico.

De acordo com o documento, isso significa que os países são vulneráveis e estão muito expostos caso ocorra uma propagação do ebola ou outra epidemia similar.

Segundo a ONG, é provável que ocorra uma nova crise devido aos deslocamentos maiores e mais constantes entre as populações dos diferentes lugares e pelo surgimento de doenças transmitidas de animais para humanos.

Ranking
Na lista das 72 nações, o Brasil é considerado “o melhor entre os piores”, com melhor atendimento médico. Logo após vem Quirguistão, Uzbequistão, Azerbaijão e Egito.

A China ocupa a 12ª posição e a Índia está em 55º lugar. Entre as últimas colocações estão o Chade (71), Nigéria (70), Afeganistão (69), Haiti (68), Etiópia (67) e República Centro Africana (66). Em último lugar está a Somália, com o sistema de saúde mais precário do mundo.

Em seu relatório, a ONG também inclui, para efeitos de comparação, uma lista dos países com o melhor atendimento médico do mundo, na qual, de um total de dez, a Austrália figura em primeiro lugar, seguida por Canadá, Alemanha, Itália, Japão e Noruega.

A Espanha ocupa o sétimo lugar, seguida por Suécia, Reino Unido e Estados Unidos

Mais investimentos financeiros
No relatório, um dos descobridores do ebola, o microbiólogo belga Peter Piot, diretor da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, apoia o pedido da ONG por mais investimentos financeiros para fortalecer os sistemas de saúde dos países pobres, para o acesso universal.

“Devido ao surgimento futuro de doenças infecciosas, e também por todas as mortes e doenças desnecessárias que ocorrem todos os dias e passam despercebidas, temos a responsabilidade de capacitar e dar suporte para sistemas de saúde funcionais e resistentes em todo o planeta”, afirma o especialista.

A ONG estima que o custo da operação para conter o ebola na África Ocidental chega a US$ 4,3 bilhões. No entanto, segundo seus cálculos, uma melhora nos sistemas de saúde desses países teria custado US$ 1,58 bilhão.

Segundo balanço mais recente da Organização Mundial da Saúde, a OMS, 23.729 pessoas foram contaminadas pelo ebola e 9.604 morreram em decorrência da epidemia. Os países mais afetados são Serra Leoa, Libéria e Guiné. Os dados são de 25 de fevereiro.

Cúpula em Bruxelas
Antes da realização nesta terça de uma cúpula sobre o ebola em Bruxelas, a ONG pede aos líderes mundiais que “aprendam com as lições da epidemia” na África Ocidental.

“Um sistema de saúde mais forte conseguiria conter o ebola em sua raiz, salvando a vida de milhões de crianças e economizando milhões”, afirma a organização, que pede o envolvimento de entidades como o Fundo Monetário Internacional (FMI).

A Save the Children pede aos governantes que, além de reconstruir os sistemas de saúde de Libéria, Serra Leoa e Guiné, se comprometam em criar uma cobertura sanitária universal em todos os países, com investimentos de pelo menos 15% de seu orçamento nacional à saúde.

Além disso, propõe que os novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que substituirão os Objetivos do Milênio e serão discutidos na ONU em setembro, incluam o compromisso de promover uma cobertura de saúde universal, e que os líderes mundiais se comprometam a acabar com as mortes evitáveis de mulheres, recém-nascidos e crianças até 2030.

Fonte: G1

‘Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração.’ Salmos 37:4
Publicado em Notícias | Deixe o seu comentário

Curso ‘‘Capacitação Integrada de Auditor Interno – ISO 13485/2004, ISO 9001/2008 e RDC 16/2013 ’’, em Curitiba

Mega Brasil 4 março 15Objetivo do treinamento: Formar alunos em Auditorias Internas Integradas da NBR ISO 13485/2004, ISO 9001/2008 e RDC 16/2013 – ANVISA, especificamente nos quesitos auditados pelos OCPs, INMETRO e ANVISA.
Abrangência: Fabricantes, importadores ou distribuidores de produtos Médicos.

Data: 16 a 20 de março de 2015, das 8 às 17:30 horas.

Local: ACP – Associação Comercial do Paraná
Endereço: Rua XV de Novembro, 621 – 4º Andar – Centro

Conteúdo Programático
1º dia: Leitura e Interpretação dos Requisitos da norma ISO 13485/2004; Comparativo entre as normas ISO 13485/1996 e ISO 13485/2004; Apresentação dos Princípios de um Sistema de Gestão da Qualidade; Os requisitos da ISO 19011/2002 para a Auditoria de Processos Condução de Auditorias em conformidade com a ISO 13485/2004
2º dia: Leitura e Interpretação dos Requisitos da Norma ISO 9001/2008; Comparativo entre as normas ISO 13485/2004 e RDC 16/2013 – ANVISA; Nivelamento de Conhecimentos Relativos a Qualidade; Conceitos de Sistema da Qualidade; Análise de Requisitos de Garantia da Qualidade (ISO 9001 versão 2008); Conceitos de Auditorias da Qualidade
3º e 4º dias: Leitura e Interpretação da norma RDC 16/2013 – ANVISA – Comparativo entre as normas ISO 13485/2004 e ISO 9001/2008. Introdução: Impacto das novas RDCs 14 e 15/2014 – Conceitos e Definições, Sistema de Boas Práticas, Responsabilidade gerencial, Pessoal, Gerenciamento de risco, Controle de compras, Controle de, Documentos e Registros, Controle de Projetos, Controle de Processo e Produção, Controle de embalagem, rotulagem e instruções de uso, Inspeções e testes, Manuseio, Armazenamento, Distribuição ,Rastreabilidade, Componentes e produtos não conformes, Ações Corretivas e Preventivas, Gerenciamento de Reclamações, Auditoria da Qualidade, Instalação, Assistência Técnica, Técnicas Estatísticas, Como montar processos Sanitários.
5º dia: Auditoria Interna nas normas ISO 13485/2004, ISSO 9001/2008 e RDC 16/2013 – ANVISA – Norma de Auditoria de referência: NBR ISO 19011/2012. Terminologia; Classificação de Auditorias; Planejamento de Auditorias; Metodologia da Auditoria da Qualidade; Preparação; Execução; Relatório; Perfil e Qualificação do Auditor; Comunicação Durante a Auditoria; Comportamento do Auditor. Requisitos legais aplicáveis e regulamentares em vigor estudo do tripé regulatório. Auditorias: Planejamento, Execução e Relatórios; Reunião de Abertura e encerramento; Como escrever um relatório de não conformidades; Ações corretivas e Preventiva;, Estudo de caso/exercícios; Avaliação dos participantes, através do exame escrito.

Público Alvo: Profissionais que atuam direta ou indiretamente na área de Garantia da Qualidade ou Responsáveis Técnicos;

Investimento por participante: 4 parcelas de R$ 605,00 ou R$ 2.200,00 à vista (boleto bancário)

Maiores informações
Inscreva-se
Realização: Mega Brasil

‘‘E disse o Senhor a Abraão: Por que se riu Sara, dizendo: Na verdade darei eu à luz ainda, havendo já envelhecido?’’ Gênesis 18:13
Publicado em Cursos/Palestas | Deixe o seu comentário

Similares ganham força na disputa com os genéricos

similares e genéricosOs medicamentos similares, que agora passam a se chamar equivalentes, vêm conquistando cada vez a confiança do consumidor brasileiro e começam a aparecer como fortes concorrentes aos genéricos no mercado doméstico, segundo pesquisa realizada por um Instituto de Pesquisa e Pós-Graduação para o Mercado Farmacêutico em parceria com o Instituto Datafolha.

No ano passado, 54% da população respondeu confiar nesse tipo de remédio para compra e consumo, com 19 pontos percentuais de avanço em relação à pesquisa anterior, realizada em 2012. Ao mesmo tempo, os genéricos e os medicamentos de referência (ou de marca) ficaram praticamente estáveis.

“Houve um grande avanço em termos de confiança e credibilidade dos similares. O mercado já sente os efeitos das medidas da Anvisa antes mesmo de as mudanças se concretizarem”, afirmou o diretor de Pesquisa do Instituto, Marcus Vinicius de Andrade, referindo-se à Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) Nº 58/2014 da Anvisa, em vigor desde janeiro, que estabeleceu os procedimentos para a intercambialidade de medicamentos similares com os de referência.

Conforme Andrade, pelas novas regras, os similares que já tenham comprovado equivalência farmacêutica com o medicamento de referência da categoria poderão declarar na bula que são substitutos ao de marca. “Os genéricos ganharam um novo competidor, à medida que também os similares passam a oferecer garantias testes que comprovam a qualidade e equivalência terapêutica a um medicamento de referência”, explicou.

Já os medicamentos genéricos mostraram expansão tímida no que tange à confiança do consumidor, passando de 70% em 2012 para 73% – considerando-se a margem de erro da pesquisa, de dois pontos para cima ou para baixo, houve estabilidade. Conforme a pesquisa, adultos com idade superior a 60 anos estão entre os que mais confiam nessa categoria de remédio, com índice de 78%, e a população do Sudeste apresenta índice acima da média nacional, de 76%.

Os remédios de marca, por sua vez, lideram recomendações e prescrições médicas e são também os mais confiáveis, segundo o consumidor brasileiro ouvido na pesquisa. No ano passado, a confiança nesse tipo de medicamento era de 78%, frente a 79% dois anos antes, alteração que pode ser explicada pela margem de erro da pesquisa.

Segundo detalhou o instituto de pesquisa, foram realizadas 2.162 entrevistas em 134 municípios, em todas as regiões do país, com homens e mulheres com 16 anos ou mais, entre 24 e 27 de setembro.

Autor: Stella Fontes
Fonte: Valor Econômico (editado pelo blog)

‘‘E  o Senhor fechou a porta por fora.’’ Gênesis 7:16b
Publicado em Notícias | Deixe o seu comentário

CRF-PR promove palestra ‘‘Ética e Fiscalização’’ em diversas cidades do Paraná

palestra ética e fiscalizaçãoObjetivo: Discutir a situação atual da formação da prática farmacêutica, apresentar as novas legislações pertinentes a profissão e esclarecer a classe farmacêutica sobre os procedimentos de fiscalização do CRF-PR.

Palestrantes: Dr. Arnaldo Zubioli – Presidente do CRF-PR ou Dra. Mirian Ramos Fiorentin – Vice Presidente do CRF-PR.

Público Alvo: Farmacêuticos e acadêmicos de farmácia.

Programação: Data, horário e cidade
10/03/2015 19:00 – Curitiba
11/03/2015 19:00 – Paranaguá
25/03/2015 19:00 – Irati
26/03/2015 19:00 – Ponta Grossa
22/04/2015 13:00 – Jacarezinho
22/04/2015 19:00 – Cornélio Procópio
23/04/2015 19:00 – Londrina
24/04/2015 19:00 – Maringá
05/05/2015 19:00 – Campo Mourão
06/05/2015 19:00 – Cianorte
12/05/2015 19:00 – Paranavaí
13/05/2015 19:00 – Apucarana
26/05/2015 19:00 – Umuarama
27/05/2015 19:00 – Telemaco Borba
09/06/2015 19:00 – Foz do Iguaçu
10/06/2015 19:00 – Cascavel
11/06/2015 19:00 – Toledo
12/06/2015 19:00 – Guaíra
23/06/2015 19:00 – Ivaiporã
24/06/2015 19:00 – Guarapuava
06/07/2015 19:00 – Dois Vizinhos
07/07/2015 19:00 – Francisco Beltrão
08/07/2015 19:00 – Pato Branco
09/07/2015 19:00 – Palmas
10/07/2015 19:00 – União da Vitória

Endereços:
• Curitiba: Auditório da Plenária CRF-PR – Rua Presidente Rodrigo Otávio, 1296 – Hugo Langue.
• Ponta Grossa: Auditório da Seccional PG – Rua Jacob Holzmann, 233 – Edifício Philadelphia – 7° andar
• Telêmaco Borba: Auditório Enfermeiro Francisco Rita da 21ª Regional de Saúde – 3 ° andar
• Londrina: SENAC – Rua: Raposo Tavares, 894 – Vila Larsen, 1
• Umuarama: Sala de Vídeo Central – Unipar Umuarama. Praça Mascarenhas de Moraes 4282 – Centro
• Irati: Auditório da Associação Comercial e Empresarial de Irati – ACIAI – Rua Frei Jaime, 40 – Centro
Os demais endereços serão confirmados em breve.

Inscrições gratuitas. Vagas limitadas.

Enviar as seguintes informações para ac@crf-pr.org.br: nome completo, número do CRF ou instituição de ensino (acadêmicos), endereço completo com CEP, telefone, e-mail e cidade onde participará.

Fonte: CRF-PR

‘‘E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.’’ Gênesis 6:5
Publicado em Cursos/Palestas | Deixe o seu comentário

Anvisa veta compras públicas com a EMS, maior farmacêutica do país

A EMS, maior farmacêutica do país em faturamento, está proibida de vender medicamentos para o poder público. Também não pode pedir registro de novas drogas ou renovação das antigas

EMS 2A empresa teve indeferido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) pedido de renovação do certificado de boas práticas de fabricação de medicamentos. A decisão foi publicada nesta segunda (2) no “Diário Oficial da União”.

O documento é a garantia de que a empresa tem condições técnicas e operacionais para a fabricação de remédios. Sem ele, fica com as atividade limitadas.

A medida foi tomada quase um mês após a Anvisa interditar parte da fábrica da EMS e suspender a fabricação de dois antibióticos genéricos: a amoxicilina clavulanato de potássio 50 mg/ml 12 mg/ml pó para suspensão oral e rifamicina 10 mg/ml, solução tópica spray.

Conforme revelado pela Folha, a temperatura do almoxarifado da fábrica em Hortolândia (SP) estava em 46°C, quando a determinada pelas normas é entre 15°C e 28°C. Essa condição pode degradar o produto.

No caso da amoxilina, segundo a Anvisa, a empresa estava utilizando uma substância não aprovada e sintetizando outra de forma diferente da que foi informada à agência. Isso pode tornar o remédio ineficaz e com potenciais riscos à população.

Em relação à rifamicina, a Anvisa constatou que o laboratório aumentou o tamanho do lote em dez vezes sem que houvesse aprovação prévia.

Certificado – Sem o certificado de boas práticas, a EMS não pode participar de licitações, mas isso não a impede de vender remédios para as farmácias.

“É uma idiossincracia, mas amparada pela legislação. Não pode vender para o SUS, mas pode comercializar para o público”, diz Dirceu Raposo de Mello, professor de farmácia da Anhembi Morumbi e ex-presidente da Anvisa.

Procurada, a Anvisa informou que não poderia se manifestar sobre a decisão.

Mello explica que, se a empresa recorrer da decisão, a medida tem efeito suspensivo até o julgamento do recurso. Em algumas situações, isso pode levar até dois anos.

Outras duas farmacêuticas pertencentes à EMS, Germed e Legrand, também de Hortolândia, tiveram negados pedidos de certificados de boas práticas, mas a Anvisa não informou o motivo. A EMS diz que já tomou providências para resolver o problema.

Figuram ainda na lista publicada no “Diário Oficial” o Laboratório Farmacêutico do Estado de Pernambuco (Lafepe) e a Hypermarcas.

Segundo diretor-presidente do Lafepe, José Fernando Uchôa, o problema será corrigido em até 120 dias. Já a Hypermarcas informou que a fábrica que consta na lista está fechada desde 2011.

Autor: Cláudia Collucci
Fonte: Folha de São Paulo

‘‘E chamou o Senhor Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás?’’ Gênesis 3:9
Publicado em Notícias | Deixe o seu comentário